Banner Página Inicial

Divulgação

  • AgresteLogo
  • Divulgação3
  • RWEP

ENSINO SUPERIOR - Em fusão, Kroton e Estácio tendem a ampliar educação a distância, demitir e elevar lucros

Escrito por master.

Ensino SuperiorProfessores temem que fusão das gigantes eleve preço das mensalidades, traga mais desvalorização profissional e reduza investimentos no ensino presencial e qualidade já inferior no setor.

por Cida de Oliveira, da RBA
http://www.redebrasilatual.com.br/

São Paulo – A compra da Estácio pela Kroton, que tem de ser aceita pelos acionistas de ambos os conglomerados antes de ser aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), vai unir as duas concorrentes numa negociação estimada em R$ 5,5 bilhões. Separadamente, as gigantes da educação privada já registram lucros crescentes. Juntas, tendem a elevar ainda mais os ganhos com a concentração e domínio do setor. Trabalhadores e alunos, porém, devem somar prejuízos.

A sensação dos 7×1 continua forte – Artigo

Escrito por master.

SolRoberto Pereira D’Araujo // http://ilumina.org.br/

O título desse artigo também poderia ser “O Sol que ninguém enxerga”.

Abaixo, uma comparação aproximada do nível de insolação da Alemanha e Brasil.

Como no território Brasileiro cabem 23 Alemanhas, o nosso potencial solar dá de 46 x 1 na Alemanha.

Mas, será que nos vingamos dos 7 x 1 ou aqui também nós perdemos?
Nada como uma experiência pessoal para perceber o grande atraso no qual o Brasil está mergulhado.

Fiz um orçamento para a instalação de placas fotovoltaicas na minha residência através de três empresas. Com pequenas diferenças, a estimativa é que com a cobertura de 27 m2, o meu telhado seria capaz de gerar 4.700 kWh/ano, uma média de 390 kWh/mês.

"Nobel de Matemática traz reconhecimento para o Brasil"

Escrito por master.

Medalhahttp://www.dw.de/

Brasileiro Artur Ávila foi reconhecido por sua contribuição à teoria dos sistemas dinâmicos. Em entrevista, o pesquisador Matheus Grasselli fala sobre a pesquisa do jovem matemático.


Nesta quarta-feira (13/08), o Brasil finalmente entrou para o rol dos países cuja ciência é reconhecida internacionalmente – graças a um carioca de 35 anos: Artur Ávila. Ele se tornou o primeiro latino-americano a receber a prestigiosa Medalha Fields, também conhecida como o "Nobel da Matemática".
De acordo com a União Internacional de Matemática (IMU, na sigla em inglês), que concede a premiação a cada quatro anos desde 1936, as "profundas contribuições" de Ávila à teoria dos sistemas dinâmicos "mudaram a face do campo ao usar a poderosa ideia de renormalização como princípio unificador".

Matrículas nas escolas estaduais diminuem diante da privatização da educação

Escrito por master.

MatrículasPesquisa avalia a evolução das matrículas no ensino fundamental de 1997 a 2012, bem como a evolução das matrículas na educação básica de 2006 a 2012.

Matrículas Tânia Rego/ABr
Viviane Tavares - da EPSJV/Fiocruz

O avanço da privatização na educação já vem sendo anunciado há tempos por matérias da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz).
Pesquisa realizada pelo professor da Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense (UFF) Nicholas Davies, que avalia a evolução das matrículas no ensino fundamental de 1997 a 2012, bem como a evolução das matrículas na educação básica de 2006 a 2012, com base nos censos do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), mostra que as redes estaduais estão cada vez menores, enquanto as privadas avançam, reforçando essas denúncias.

INCLUSÃO - Em três anos, Lei de Cotas garantiu mais de 111 mil vagas para estudantes negros

Escrito por master.

InclusãoDados são da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República; até o fim de 2015, o número deve chegar a 150 mil.

por Luciano Nascimento, da Agência Brasil /
http://www.redebrasilatual.com.br/

Criada com o objetivo de ampliar o acesso da população negra, indígena e a de baixa renda ao ensino superior, a Lei de Cotas, que completa três anos hoje (29), garantiu perto de 111 mil vagas para estudantes negros em cursos superiores de universidades e institutos federais. Os dados são da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (Seppir), divulgados esta semana. Até o fim de 2015, o número deve chegar a 150 mil.