Banner Página Inicial

Divulgação

  • RWEP
  • Divulgação3
  • AgresteLogo

Matrículas nas escolas estaduais diminuem diante da privatização da educação

Escrito por master.

MatrículasPesquisa avalia a evolução das matrículas no ensino fundamental de 1997 a 2012, bem como a evolução das matrículas na educação básica de 2006 a 2012.

Matrículas Tânia Rego/ABr
Viviane Tavares - da EPSJV/Fiocruz

O avanço da privatização na educação já vem sendo anunciado há tempos por matérias da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz).
Pesquisa realizada pelo professor da Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense (UFF) Nicholas Davies, que avalia a evolução das matrículas no ensino fundamental de 1997 a 2012, bem como a evolução das matrículas na educação básica de 2006 a 2012, com base nos censos do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), mostra que as redes estaduais estão cada vez menores, enquanto as privadas avançam, reforçando essas denúncias.

INCLUSÃO - Em três anos, Lei de Cotas garantiu mais de 111 mil vagas para estudantes negros

Escrito por master.

InclusãoDados são da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República; até o fim de 2015, o número deve chegar a 150 mil.

por Luciano Nascimento, da Agência Brasil /
http://www.redebrasilatual.com.br/

Criada com o objetivo de ampliar o acesso da população negra, indígena e a de baixa renda ao ensino superior, a Lei de Cotas, que completa três anos hoje (29), garantiu perto de 111 mil vagas para estudantes negros em cursos superiores de universidades e institutos federais. Os dados são da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (Seppir), divulgados esta semana. Até o fim de 2015, o número deve chegar a 150 mil.

ANTIDEMOCRÁTICOS - Conselhos estaduais excluem sociedade civil das decisões na educação

Escrito por master.

Conselhospor Malú Damázio, da RBA - Arte: Júlia Lima.
http://www.redebrasilatual.com.br/

Levantamento da RBA constatou que apenas 29,6% dos conselhos preveem a existência de cadeiras para representantes de pais e alunos.

São Paulo – A composição dos conselhos estaduais de educação (CEE) brasileiros é pouco representativa e não garante participação da sociedade civil. Um levantamento feito pela RBA constatou que apenas 29,6% do total de colegiados preveem em sua estrutura a participação de estudantes matriculados na rede de ensino e seus pais ou associações que os representem.
As entidades, em sua maioria, são responsáveis por regulamentar o ensino e autorizar a criação de instituições escolares nos estados da federação.

EDUCAÇÃO - Lousa, giz e chumbo

Escrito por master.

Escola e chumboSubfinanciamento da escola pública e privatização do setor estão entre os principais legados das políticas educacionais da ditadura.

por Cida de Oliveira e Sarah Fernandes
http://www.redebrasilatual.com.br/

Em meio a um emaranhado de fusões de escolas e concentração de conglomerados universitários, o ensino superior privado brasileiro segue de vento em popa. Um levantamento da consultoria Hoper Educação, com base em dados de 2013, constatou crescimento de faturamento de 30% entre 2011 e 2013, de R$ 24,7 bilhões para R$ 32 bilhões. Conforme a consultoria, estão matriculados hoje no ensino superior privado 5 milhões de alunos.

EDUCAR IMPARCIALMENTE, UM DESEJO INTOLERANTE

Escrito por master.

AvicenaMedo da política nas escolas, expresso no programa “Roda Viva” e num projeto de lei, não tem a ver com parcialidade, mas com temor a opiniões divergentes.


Por Diogo Quirim / http://outraspalavras.net/


O programa Roda Viva, apresentado pela TV Cultura em 8 de junho, entrevistou o atual Ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro. Próximo ao fim do programa, João Gabriel de Lima, diretor de redação da revista Época, após traçar críticas à crescente radicalização e polarização na política brasileira, perguntou: “Por que PT e PSDB mantêm o debate público em um nível tão baixo?”.
Ainda: “O que a educação pode fazer para ensinar o convívio dos contrários?”.