Banner Página Inicial

Divulgação

  • Divulgação3
  • RWEP
  • AgresteLogo

A bobagem da “escola sem partido” pode ter efeitos positivos

Escrito por master.

ESPpor Marcos de Aguiar Villas-Bôas

http://jornalggn.com.br/

A racionalidade humana predominante desde a Grécia Antiga e principalmente a partir do século XVIII está pautada no raciocínio lógico-dedutivo, aquele que constrói por operações lógico-formais conclusões particulares a partir de premissas gerais e que supõe não ser possível existir “a” e “não-a” ao mesmo tempo, regra lógica pinçada da obra de Aristóteles.

Juntamente com essas ideias caminha a noção de que existe uma única resposta correta para as nossas perguntas e de que o objetivo humano é encontrá-la.

Angola: Saneamento débil nas Escolas primárias deve-se principalmente a falta de financiamento

Escrito por master.

Angolahttp://port.pravda.ru/

Angola: Saneamento débil nas Escolas primárias deve-se principalmente a falta de financiamento

A constatação foi feita num estudo sobre o diagnóstico das condições de água e saneamento em 600 escolas primárias de 6 províncias de Angola no âmbito do projecto das Escolas Amigas da Criança
LUANDA, 16 de Agosto de 2016 - O diagnóstico cujo relatório é apresentado no dia 17 de Agosto pelas 9:00, no Hotel Trópico em Luanda teve como objectivo analisar os possíveis obstáculos ou áreas de estrangulamento ao programa de água, saneamento e higiene nas escolas em Angola. Esta avaliação serve para abrir caminho a um debate sobre o acesso à água, saneamento e higiene, bem como no planeamento e orçamento adequada para escolas primárias.

Somos todos responsáveis pelo fracasso deste país

Escrito por master.

CaravagioPor Sebastiao Nunes http://jornalggn.com.br/

Houve uma época, quando eu amadurecia intelectualmente, em que a filosofia dominante era o existencialismo, especialmente o existencialismo ateu. Era de um radicalismo estonteante ou, como escreveu Simone de Beauvoir, “todos somos responsáveis por tudo perante todos”. Falando da missão de quem escreve, Sartre, seu companheiro, disse: “A função do escritor é fazer com que ninguém possa ignorar o mundo e considerar-se inocente diante dele”. Em outras palavras, na opinião desses inimigos mortais do individualismo irresponsável, “ninguém é inocente”.

Esta expressão, “ninguém é inocente”, tornou-se paradigmática na minha geração, pelo menos para aqueles que se consideravam comprometidos com a ética e o futuro da humanidade. Muitos abdicaram, recuaram, fizeram-se surdos, cegos, mudos e foram ser felizes em outras praias, pois é extremamente difícil manter-se coerente. Foi de sua liberdade, da liberdade radical de dizer, escrever e agir, que Sartre, Simone e Camus nunca abriram mão, para o bem ou para o mal.

De onde vem o conservadorismo?

Escrito por master.

ConservadorismoPor Mauro Luis Iasi. // https://blogdaboitempo.com.br/

“Atrás da aparente beleza, estão os assassinos em massa, a abolição da dignidade, os campos de trabalho forçado, a rejeição de toda a noção de liberdade e fraternidade. (…) [O comunista] é aparentemente inofensivo, será o seu mais querido amigo, o mais sincero, o mais leal… até o dia em que ele o assassinará pelas costas.”

(O GORILA, folheto anticomunista distribuído no interior das Forças Armadas como preparação para o Golpe de 1964)

Há um certo espanto com as recentes manifestações de direita no Brasil, como se fossem algo fora do lugar e do tempo, resquícios de um tempo obscuro que se esperava superado. Por outro lado, espantam-se os que crêem que tal fenômeno é absolutamente novo – daí os epítetos tais como “nova direita”, “onda conservadora” e outros. Acreditamos que o conservadorismo que se apresenta na ação política de direita não é algo do passado que se apresenta anacronicamente no cenário de uma democracia, nem algo novo que brota do nada.

Como a Bolívia acabou com o analfabetismo

Escrito por master.

BolíviaUm método transformador e o cuidado de estendê-lo a grupos antes esquecidos — deficientes e portadores de Down, por exemplo — ensinaram um milhão de adultos a ler e escrever

Por Fellipe Abreu e Luiz Felipe Silva, no Calle2 | Fotos por Fellipe Abreu // http://outraspalavras.net/

Um grupo de 40 idosos camponeses estava pronto para nos receber para acompanhar uma aula de alfabetização, na região rural da cidade periférica de El Alto, vizinha de La Paz. Estávamos lá para produzir uma reportagem sobre o método Yo Sí Puedo, programa de alfabetização cubano aplicado na Bolívia desde 2006 e que tornou o país um território livre do analfabetismo, segundo a Unesco.